sábado, 10 de março de 2012

Ligação involuntária

Talvez seja por nunca ter tido de ti aquilo que sempre consegui noutros lugares.
Talez seja verdade que apenas queremos aquilo que não nos é dado de mão beijada.
Eu tive alguns vislumbres do que era dar-te a mão no meio da rua, do que era beijar-te em segredo, do que era trocar um olhar que só nós dois entendiamos.
Eu soube fugazmente qual é o teu sabor, como é o teu toque, como é a tua respiração.
Eu guardo o teu cheiro como um vício, ouço a tua voz e sinto uma adrenalina quase mágica de uma droga proíbida.
Procuro-te e sigo-te sem que saibdas. Estou sempre mais perto do que possas imaginar, como se te quisesse proteger de tudo e de todos. E na verdade sou-te tão indiferente, sou tão transparente e estou tão longe e sou tão incapaz.
Sofro tanto e sou tão feliz.
Nunca estou no meio...sou um 8 e um oitenta.
Admiro-te e odeio-te. Quero-te e desprezo-te.
Mudava tudo em ti e nada ao mesmo tempo. Quero tanto a tua atenção, quero tanto saber que estou no teu coração.
Quase um acto de massoquismo do qual simplesmente não consigo fugir. Doi-me pensar em ti e não passa um
dia que não o faça.
É uma ligação impossivel e imprevisivel.
O tempo não enfraquece, e a minha força só me humilha e me desfaz por dentro.
A minha cobardia e o meu medo nao me impedem de ficar presa a coisa nenhuma.
Disseste-me o que sempre quis ouvir e talvez até o sintas. Mas a distância, a frieza e ausência de hoje só me fazem querer de volta aqueles dias. Não quero avançar...não consigo.
É uma dependência, uma necessidade.
É um vício que toma conta de mim e que me corrói e que não posso satisfazer.
São caminhos, vidas, opiniões e lugares diferentes. Mas eu não consigo largar...diz-me outra vez que gostas de mim. Dá-me a tua atenção mesmo que à distância. Diz que me queres, alimenta o meu imaginário.
Tu sabes que eu dou a volta ao mundo para o tornal real por um minuto que seja.
Mata a minha sede. Dá-me aquela alegria mesmo que fingida.
Já não quero tudo, quando aprendo que um pouco de ti me faz respirar melhor do que absolutamente nada.

9 comentários:

Anónimo disse...

Simplesmente... Liindo!!
Um beijo princesa
JC

Leila Moura disse...

Obrigada :)

Beijinhos

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Leila Moura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
flavio san disse...

linda linda linda

alegria nao pode ser fingida ......

beijo

Anónimo disse...

linda

nao se pode fingir alegria


um beijo

Leila Moura disse...

Obrigada pelas visitas

Anónimo disse...

Já não publicas nada à muito tempo. Nada de novo?

Beijinhos

Leila Moura disse...

Voltei hoje.
Não faz sentido escrever por escrever =)
Obrigada por acompanhares.

Beijinho

Pesquisas