segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Penumbra


É tão bom sentir a pele a quebrar,
A saliva a escorrer
Os aromas a penetrarem-nos no corpo...
Deixarem-nos sem norte
Sem vontade, vogados, vergados pelo prazer.
Esquecer o que é certo e o que é errado.
Nesse momento não existem regras, padrões ou morais...
Apenas o desejo
A vontade
As sensações que nos percorrem os nervos e nos transportam para outra dimensão,
Mais frenética, suada e quente.
O êxtase que sentimos ao tocar na outra pele...
O prazer que temos enquanto a língua nos percorre o corpo
O não pensar em nada e apenas sentir....

...é realmente extraordinário.

Um vestido leve a escorregar por entre as sombras de uma persiana entreaberta
Uma mão experiente a divagar num corpo semi nu na penumbra...
De olhos fechados para aguçar os sentidos,
Beijos nos lábios sedosos, de olhos fechados...
Como se aquele momento não fosse mais acabar!
Dançando juntos na penumbra
Beijando-se
Sem se verem...Apenas sentindo-se
Vagueando ao sabor da música das suas mentes
Percorrendo cada um o corpo do outro
Bebendo da boca do outro, como se fosse o elixir da vida...

2 comentários:

Paulo disse...

Simplesmente Perfeito!!!! gostei imenso..

Anónimo disse...

Nina, está deslumbrante como o raiar do sol!! A tua escrita remete qualquer pessoa para o seu interior!! Amei mesmo!! Parabéns linda!!
Bjokas Marta

Pesquisas